PERFIL

PERFIL COMPLETO

perfil_foto2

A decisão em ser um atleta paralímpico

Despois de três anos competindo no Atletismo com atletas sem deficiência, Alex decidiu que era hora de se concentrar nas competições paralímpicas, contrariando seu pensamento anterior, mas que era uma decisão correta. Começou a disputar o Circuito Loterias Caixa em 2011, com as provas de 5km e 10km.

Em 2012, pediu demissão do trabalho para se dedicar ao esporte

Entre 2007 a 2012, Alex ainda conciliava o trabalho com as corridas. Trabalhava em período integral e treinava à noite. Mas quando a possibilidade de ir aos Jogos de Londres se tornou algo real, ele pediu demissão da empresa onde trabalhava. O dinheiro que guardou dava para seis meses e ele decidiu apostar na ideia. A primeira de muitas recompensas veio quando ele conquistou o patrocínio da Loterias Caixa.

perfil_foto4

O início em Sapiranga

A história de Alex Pires começou na cidade gaúcha de Sapiranga. Desde criança, sempre gostou multo de esporte e queria ser jogador de Futebol ou Futsal, modalidade que inclusive jogou até os 17 anos. Mas foi nessa época que ele foi apresentado ao esporte que de fato seria sua principal ocupação e no qual viria a conquistar um título mundial, o Atletismo.

As primeiras corridas

Em 2007, quando ainda jogava Futebol, Alex decidiu se inscrever em uma corrida de rua, mesmo treinando sem orientação. E este curto tempo de treinos, somado ao talento nato do atleta, já deu resultado! Ele venceu a competição na sua categoria! Desde então, a vontade de competir só aumentou e passou a disputar outras provas na categoria de sua idade.

“Eu vi ali que poderia tentar mais. Fui procurar mais informações de como me inscrever em outras provas. Naquela época inclusive, eu achei que poderia me tornar um atleta olímpico e não paralímpico”, conta.

perfil_foto3

O título mundial

Em abril de 2017, Alex chegou ao topo! Disputando o Campeonato Mundial de Maratona Paralímpica em Londres, ele conquistou a medalha de ouro, com o tempo de 2h28min29. O título consagrou a superação de uma lesão que o incomodava há mais de um ano.

“Depois que corri a Maratona de Barcelona em março de 2016, tive sérios problemas com a articulação dos pés, o que prejudicou inclusive minha preparação para os Jogos do Rio. Acordava depois de um longo treino que nem conseguia colocar o pé no chão. Mas passei por cima disso, contando também com apoio psicológico”, lembra.

Objetivo: Tokyo 2020

Atualmente Alex Pires treina no clube Sogipa, em Porto Alegre, em dois períodos por dia. Seu objetivo é ter a nova oportunidade de representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos, porém com um desempenho ainda melhor, subindo ao pódio e trazendo mais uma medalha para o Brasil. Os treinos não param nem nos finais de semana, inclusive é no domingo que Alex faz o “longão”, que é o treino com maior duração.

perfil_foto2

O início em Sapiranga

A história de Alex Pires começou na cidade gaúcha de Sapiranga. Desde criança, sempre gostou multo de esporte e queria ser jogador de Futebol ou Futsal, modalidade que inclusive jogou até os 17 anos. Mas foi nessa época que ele foi apresentado ao esporte que de fato seria sua principal ocupação e no qual viria a conquistar um título mundial, o Atletismo.

As primeiras corridas

Em 2007, quando ainda jogava Futebol, Alex decidiu se inscrever em uma corrida de rua, mesmo treinando sem orientação. E este curto tempo de treinos, somado ao talento nato do atleta, já deu resultado! Ele venceu a competição na sua categoria! Desde então, a vontade de competir só aumentou e passou a disputar outras provas na categoria de sua idade.

“Eu vi ali que poderia tentar mais. Fui procurar mais informações de como me inscrever em outras provas. Naquela época inclusive, eu achei que poderia me tornar um atleta olímpico e não paralímpico”, conta.

A decisão em ser um atleta paralímpico

Despois de três anos competindo no Atletismo com atletas sem deficiência, Alex decidiu que era hora de se concentrar nas competições paralímpicas, contrariando seu pensamento anterior, mas que era uma decisão correta. Começou a disputar o Circuito Loterias Caixa em 2011, com as provas de 5km e 10km.

Em 2012, pediu demissão do trabalho para se dedicar ao esporte

Entre 2007 a 2012, Alex ainda conciliava o trabalho com as corridas. Trabalhava em período integral e treinava à noite. Mas quando a possibilidade de ir aos Jogos de Londres se tornou algo real, ele pediu demissão da empresa onde trabalhava. O dinheiro que guardou dava para seis meses e ele decidiu apostar na ideia. A primeira de muitas recompensas veio quando ele conquistou o patrocínio da Loterias Caixa.

perfil_foto3

O título mundial

Em abril de 2017, Alex chegou ao topo! Disputando o Campeonato Mundial de Maratona Paralímpica em Londres, ele conquistou a medalha de ouro, com o tempo de 2h28min29. O título consagrou a superação de uma lesão que o incomodava há mais de um ano.

“Depois que corri a Maratona de Barcelona em março de 2016, tive sérios problemas com a articulação dos pés, o que prejudicou inclusive minha preparação para os Jogos do Rio. Acordava depois de um longo treino que nem conseguia colocar o pé no chão. Mas passei por cima disso, contando também com apoio psicológico”, lembra.

Objetivo: Tokyo 2020

Atualmente Alex Pires treina no clube Sogipa, em Porto Alegre, em dois períodos por dia. Seu objetivo é ter a nova oportunidade de representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos, porém com um desempenho ainda melhor, subindo ao pódio e trazendo mais uma medalha para o Brasil. Os treinos não param nem nos finais de semana, inclusive é no domingo que Alex faz o “longão”, que é o treino com maior duração.